Folhetim

Duas Vanusas – Capítulo 3: Verônica

Change Size Text
Duas Vanusas – Capítulo 3: Verônica

Eu falei pro mano que tia Vanusa não ia zangar. Todo mundo gosta de galinha. O mano tava penteando meu cabelo porque ele disse que eu não sei sozinha. Ele sempre me manda ficar quieta. Eu sei ficar quietinha. Eu só não sei ficar quieta muito tempo. Ficar assim é chato. Eu gosto muito do mano, mas às vezes ele briga comigo. Gosto quando ele me mostra as coisas e me fala se é de comer, de guardar ou de usar. Agora eu tenho quatro anos, já sou grandinha e já sei um montão de coisas. Sei que tomate parece fruta mas não é de comer no lanche, a gente come no almoço. Que no lanche a gente come banana, bergamota e melão. E limão é fruta também, mas é de fazer suco, não de comer. Eu não acreditei e peguei um limão escondido na geladeira. Fui atrás do tanque e comi. Não era bom, mas não me deu dor de barriga igual o mano disse. Às vezes ele mente. Falou pra mamãe que eu derrubei o controle da televisão, mas não foi eu. Na verdade não foi ninguém, caiu sozinho quando eu fui sentar no sofá. Não sei. Só caiu.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

Eu falei pro mano que tia Vanusa não ia zangar. Todo mundo gosta de galinha. O mano tava penteando meu cabelo porque ele disse que eu não sei sozinha. Ele sempre me manda ficar quieta. Eu sei ficar quietinha. Eu só não sei ficar quieta muito tempo. Ficar assim é chato. Eu gosto muito do mano, mas às vezes ele briga comigo. Gosto quando ele me mostra as coisas e me fala se é de comer, de guardar ou de usar. Agora eu tenho quatro anos, já sou grandinha e já sei um montão de coisas. Sei que tomate parece fruta mas não é de comer no lanche, a gente come no almoço. Que no lanche a gente come banana, bergamota e melão. E limão é fruta também, mas é de fazer suco, não de comer. Eu não acreditei e peguei um limão escondido na geladeira. Fui atrás do tanque e comi. Não era bom, mas não me deu dor de barriga igual o mano disse. Às vezes ele mente. Falou pra mamãe que eu derrubei o controle da televisão, mas não foi eu. Na verdade não foi ninguém, caiu sozinho quando eu fui sentar no sofá. Não sei. Só caiu.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.