Reportagens | Teatro

Espetáculo “Leonel” leva a vida de Brizola aos palcos

Change Size Text
Espetáculo “Leonel” leva a vida de Brizola aos palcos Cartaz da peça "Leonel"

Com foco na vida pessoal de um dos maiores nomes da história política brasileira, o espetáculo Leonel, de Caco Coelho, celebra o centenário de nascimento de Leonel Brizola (1922-2004). A montagem tem pré-estreia para convidados na próxima quinta-feira (20/1) e faz temporada no Porto Verão Alegre de 21 a 23 de janeiro – ingressos à venda aqui.

Inicialmente marcadas para o Foyer do Multipalco do Theatro São Pedro, as primeiras quatro apresentações da peça serão realizadas no Teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa do RS, visando possibilitar um distanciamento maior do público – medida adotada a partir da nova onda de contágio da covid-19.

No mesmo local, em 31 de março de 2004, Brizola participou do evento “40 Anos do Movimento Militar de 1964”, promovido pela Assembleia e pelo governo estadual. “Foi meu último encontro com Brizola em Porto Alegre, na última passagem dele pela cidade”, conta Coelho, que em 1983 foi viver no Rio de Janeiro para trabalhar no primeiro mandato do pedetista como governador fluminense (1983-1987).

“Era o governo das Diretas Já, dos CIEPs, do Sambódromo. Foi uma experiência muito rica”, recorda Coelho, que também dirigiu o documentário Onde Está a Esperança?: 30 Anos do Comício Diretas pra Valer (2017), sobre um comício de Brizola, em 1987, e a tentativa de Luís Carlos Prestes de aproximar Brizola e Lula pouco antes das primeiras eleições presidenciais diretas da Nova República.

Os vínculos de Coelho com momentos marcantes da trajetória de Brizola vêm de família: “Minha avó, vim a saber há poucos anos, foi quem desenvolveu o plano educacional implementado nas mais de seis mil escolas que Leonel construiu no Rio Grande Sul. Meu pai era médico da família e acabou preso na casa de Brizola, no golpe militar de 1964”.

Leonel Brizola. Foto: Arquivo Palácio Piratini

Realização da Fundação Caminho da Soberania, Leonel completa dois meses de ensaios nesta semana. A vida do protagonista da peça divide-se em três fases e atuações. O ator Paulo Roberto Farias interpreta o político em terras gaúchas, do nascimento em Cruzinha, passando pela morte do pai no ano seguinte, até o exílio. Lisandro Pires assume o papel do ex-governador gaúcho vivendo no Uruguai. No terceiro ato, com o diretor Caco Coelho no papel de Brizola, ganha destaque a morte de Neusa Goulart Brizola (1921-1993), interpretada pela atriz Marina Mendo.

Leonel Brizola. Foto: Loir Gonlçalves

“Hoje há cerca de 30 livros sobre o Brizola e vários documentários. Não nos preocupamos em contar a parte histórica, que será narrada em vídeo, numa espécie de linha do tempo. Preferimos extrair os bastidores humanos dessa trajetória iluminada. Alguns podem criticá-la, mas ninguém pode negar a identidade dele com o povo”, defende Coelho.

O espetáculo tem supervisão da atriz Vera Holtz e direção de movimento de Eduardo Severino. “Minha participação no espetáculo é na preparação corporal de atores e atrizes durante todo o processo de criação, colocando-os em equilíbrio espacial nas entradas, saídas e deslocamentos de cada cena”, conta o bailarino.

A atriz e cantora Camila Falcão conduz a trama como corifeia – nome dado à liderança dos coros no teatro grego.“É como se ela fosse uma atriz do Teatro Experimental do Negro de Abdias Nascimento. A Camilo tem sido uma voz que nos ilumina”, destaca Coelho ao telefone, a poucos metros de onde Falcão ensaia Pai, de Chico Buarque, canção que integra um pot-pourri do espetáculo.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.
 
Foto: Guilherme Lund
 
Foto: Cau Guebo
 
Foto: Pedro Mendes
 
Foto: Nilton Santolin
 
Foto: Guilherme Lund
 
Foto: Joel Vargas
 
Foto: Cau Guebo

 

Foto: Nilton Santolin
conteúdo exclusivo
Roger
Lerina.com
Quer saber como faz para curtir esse e outros eventos culturais? Então seja assinante do Matinal Jornalismo. Por menos de um ingressinho de cinema por mês, você tem acesso à agenda cultural mais completa de Porto Alegre e região aqui no site ou direto no seu email todos os dias. Além disso, assinantes do Matinal Jornalismo têm acesso a conteúdos exclusivos do site do Roger Lerina, da revista Parêntese, nossas newsletters diárias, descontos em cursos e livros e ainda muito mais. Assine e contribua para que o jornalismo feito pelo site do Roger Lerina viva e sobreviva! Viva a culutra!

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS
PUBLICIDADE