Agenda | Reportagens | Teatro

Estrela Dinn brilha nos cabarés do sul do mundo

Change Size Text
Estrela Dinn brilha nos cabarés do sul do mundo "Estrela Dinn". Foto: Adriana Marchiori

“Eu sou Estrela Dinn, eu sou uma ficção. Eu sou filha desta zona, a Zona Cultural, e esta zona é um teatro. Eu sou filha do teatro – e sendo filha do teatro, abre-se uma possibilidade gigantesca de jogo e exploração das teatralidades possíveis.” A afirmação da atriz Estrela Dinn, atravessada por uma fala de sua personagem homônima, dá o tom do espetáculo que a Cia. Rústica estreia nesta terça-feira (30/1), às 20h, na Zona Cultural, integrando a programação do Porto Verão Alegre.

Com direção de Patrícia Fagundes, a peça Estrela Dinn – A Pessoa Nasce pra Brilhar leva ao palco uma personagem criada para os espetáculos Cabaré da Mulher Braba e Cabaré do Amor Rasgado, produções recentes da companhia que fazem parte da pesquisa Cabarés do Sul Mundo, projeto acadêmico-teatral liderado pela diretora da montagem.

“Nosso tempo carrega essa urgência da luta por narrativas que abrem janelas para imaginar outros mundos. Essa montagem é costurada por histórias da atriz e de outras travestis, narrativas de astronomia e astrologia, canções pop, memórias, nossa constante celebração da arte e do próprio teatro, que é um espaço de afeto, invenção e rebeldia”, afirma Patrícia. 

“O espetáculo integra a proposta que a gente desenvolve, desde a fundação da Cia. Rústica, de trazer, além da festividade, um diálogo entre arte e política, com temas sensíveis e socialmente relevantes, de uma maneira acessível e próxima do público”, completa a diretora, que é professora do Departamento de Arte Dramática da UFRGS.

Leia também: Zona Cultural será inaugurada com “Cabaré da Mulher Braba”, da Cia. Rústica

Acompanhada do personagem Vitorio Ventura (Diego Nardi) – um ator, astrólogo e profissional múltiplo do teatro –, Estrela Dinn performa, dubla, dialoga e coreografa uma jornada de autoconhecimento, com passagens autobiográficas que se somam a homenagens. “Tem uma encruzilhada entre essa personagem e eu mesma. Primeiro, emprestei o nome à personagem, agora estou finalmente assumindo esse nome. É uma homenagem à minha mãe travesti, Natasha Dinn, e outra amiga, a Estrela, como chamamos a Mirela Vogue na intimidade”, conta Estrela Dinn, 37 anos, que até poucos dias atuava nos palcos com o nome Ander.

“Estrela Dinn”. Foto: Adriana Marchiori

Ela conta que, ao longo dos espetáculos mais recentes da Cia. Rústica, já alimentava o desejo de aprofundar a personagem Estrela Dinn. A vontade ganhou força com pedidos do público para que Estrela brilhasse ainda mais. A companhia bancou a ideia, dando sequência à proposta de um olhar a partir do espaço simbólico dos cabarés do sul do mundo.

“A noite é um espaço de manifestações artísticas, e as pessoas trans, de maneira geral, encontram na noite um espaço de expressão que as abraça, diferente de outros lugares legitimados pela cultura eurocentrada, hétero-cis-normativa. Tende-se a olhar para essas linguagens e estéticas – desenvolvidas, pensadas e executadas à noite – como algo menor, porque não correspondem à norma vigente que acolhe pouquíssimos corpos e linguagens”, reflete Estrela.

“Este outro corpo, marginalizado e excluído nesse universo, é uma grande estrela e brilha como diamantes no céu, como diria Rihanna: Shine bright like a diamond”, completa a artista, cantando RiRi durante a entrevista.

“Estrela Dinn”. Foto: Adriana Marchiori

As homenageadas do espetáculo incluem a multiartista e militante LGBTQIA+ Cláudia Wonder (1955-2010). Nas palavras de Estrela, “uma artista da cena, transgressora, underground, cabeleireira, maquiadora, síndica de prédio, que dava consultoria para atores e atrizes que interpretavam travestis e transexuais”.

Quem também inspira a personagem Estrela Dinn é a empresária e militante Andréa de Mayo (1950-2000) – que interpretou Geni na primeira montagem da Ópera do Malandro, escrita por Chico Buarque, e era conhecida como Poderosa Chefona na São Paulo dos anos 1980. “É uma complexidade do universo travesti. Onde não há Estado, as pessoas precisam desenvolver outros códigos”, observa Estrela.

A tríade de inspirações se completa com a atriz Rogéria (1943-2017). “Ela era o glamour, a vedete, e jogava num território muito pantanoso. Hoje em dia, com nossas evoluções e letramento, quase temos uma síncope com os absurdos que ela falava. Mas não a vejo de forma demonizadora”, explica Estrela. “Quando ela morre, foi manchete no país inteiro: ‘Morre a atriz Rogéria’, e não ‘Morre a travesti’. Pra quem conhece como é viver num mundo cisnormativo, onde as pessoas leem tudo pelo filtro da transgeneridade, isso é gigantesco”, ressalta a atriz.

“Estrela Dinn”. Foto: Adriana Marchiori

O espetáculo também celebra as trajetórias de Britney Federline – primeira diretora trans da TV Globo –, da artista Glória Crystal – diretora da Divisão da Diversidade e de Combate à Intolerância do governo estadual – e da atriz e cantora Valéria Barcellos. “Sermos pessoas transgêneras é mais uma característica que nos compõe, não a principal. Somos absolutamente plurais e contraditórias, como qualquer outro ser humano do planeta Terra”, destaca Estrela.

“Estou numa rede de relações significativas que me permitem ser a atriz que estou me permitindo ser. E isso só é possível por causa delas, que vieram antes”, completa a atriz, que começou no teatro aos 10 anos, em Caxias do Sul, onde também atuou como bailarina pela Companhia Municipal de Dança. Integrante do grupo caxiense Quarta Parede, Estrela mudou-se em 2010 para Porto Alegre, onde se graduou em direção teatral pela UFRGS. Desde 2013, faz parte da Cia. Rústica.

“Viver meu ofício é a melhor maneira que encontrei de me comunicar com o mundo. Continuo acreditando nesse poder que é trans – olha aí – transformador desse nosso convívio, a partir da imaginação, dos conflitos de nossos desejos e da construção de uma sociedade diferente, livre, abrangente.”

“Estrela Dinn — A Pessoa Nasce pra Brilhar”, da Cia. Rústica
Quando:
30 e 31 de janeiro e 1º de fevereiro, às 20h
Onde: Zona Cultural (avenida Alberto Bins, 900 — Centro Histórico – Porto Alegre)
Classificação: 14 anos
Ingressos à venda no site do Porto Verão Alegre

Gostou desta reportagem? Garanta que outros assuntos importantes para o interesse público da nossa cidade sejam abordados: apoie-nos financeiramente!

O que nos permite produzir reportagens investigativas e de denúncia, cumprindo nosso papel de fiscalizar o poder, é a nossa independência editorial.

Essa independência só existe porque somos financiados majoritariamente por leitoras e leitores que nos apoiam financeiramente.

Quem nos apoia também recebe todo o nosso conteúdo exclusivo: a versão completa da Matinal News, de segunda a sexta, e as newsletters do Juremir Machado, às terças, do Roger Lerina, às quintas, e da revista Parêntese, aos sábados.

Apoie-nos! O investimento equivale ao valor de dois cafés por mês.
Se você já nos apoia, agradecemos por fazer parte da rede Matinal! e tenha acesso a todo o nosso conteúdo.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já nos apoia, agradecemos por fazer parte da rede Matinal! e tenha acesso a todo o nosso conteúdo.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Gostou desta reportagem? Ela é possível graças a sua assinatura.

O dinheiro investido por nossos assinantes premium é o que garante que possamos fazer um jornalismo independente de qualidade e relevância para a sociedade e para a democracia. Você pode contribuir ainda mais com um apoio extra ou compartilhando este conteúdo nas suas redes sociais.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! Faça login e tenha acesso a todos os nossos conteúdos.

Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

terça-feira, 30 de fevereiro de 2024 | 20h00

Zona Cultural (Avenida Alberto Bins, 900)

Muito legal ficar sabendo de tudo o que acontece na cidade, né?
Este conteúdo é exclusivo para assinantes e é por causa da sua valiosa contribuição que você tem acesso a tudo o que está rolando de mais legal nas artes, e isso tudo através da curadoria do jornalista Roger Lerina. Se você valoriza este conteúdo, compartilhe nas suas redes sociais para que mais gente tenha contato com o melhor da Cultura.
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Se você já é assinante, obrigada por estar conosco no Grupo Matinal Jornalismo! e tenha acesso a todos os nossos conteúdos. Compartilhe esta reportagem em suas redes sociais!
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email

PUBLICIDADE

Esqueceu sua senha?