Música, Notas

Vitor Pirralho & Unidade se unem a Ney Matogrosso em clipe sobre questão indígena no Brasil

Change Size Text
Vitor Pirralho & Unidade se unem a Ney Matogrosso em clipe sobre questão indígena no Brasil
Em 2019, a questão indígena entrou em pauta mais uma vez no país com o desejo do governo em passar a demarcação de terras indígenas para o Ministério da Agricultura. Os índios continuam sua luta para que o trabalho fique com a Fundação Nacional do Índio (Funai). Tratar do tema se transformou em uma coisa urgente – e o novo clipe do rapper alagoano Vitor Pirralho chega em boa hora. Rumos e Rumores é a canção escolhida para dar o início no lançamento de seu terceiro disco, A Invenção É a Mãe das Necessidades, e conta com a participação especial do grande cantor Ney Matogrosso. A questão indígena não é novidade para Vitor Pirralho & Unidade: o disco anterior Pau-Brasil (2009) foi desenhado sob o olhar dos índios. – Essa é uma discussão perene no Brasil e na América Latina como um todo. Eu tenho muito interesse pela causa, que nos remete direto à situação de país colonizado, é uma questão identitária mesmo. E, como eu tenho como mastro poético de minhas composições o Oswald de Andrade, poeta modernista que tão bem trouxe às artes brasileiras o conceito de antropofagia cultural, que resgata o primitivismo, a cultura indígena e como ela foi sufocada e catequizada, eu sempre discuti esse tema em minhas composições. Muitos antes de mim já levantaram artisticamente essa questão, talvez a minha contribuição seja aproximar o rap dessa discussão – explica Pirralho. O clipe coloca a narrativa em imagens e traz a fusão do passado com o futuro. Nele, Ney Matogrosso faz o papel de um pajé que recebe informações do futuro e vê que há muita luta para o povo indígena nos próximos anos. O mensageiro do futuro que coloca em uma garrafa um pen drive com todas essas informações também é visto como um subversivo e sofre as consequências de seu ato quando descoberto. Rumos e Rumores também é entrecortado de imagens e palavras de ordem que foram usadas pela população nos últimos anos exaltando a importância desses movimentos. A única palavra que talvez não seja conhecida do público em geral é “tortura 101”, uma alusão ao quarto 101, usado na já citada obra de George Orwell, na qual o Ministério do Amor torturava os cidadãos indesejados ao estado totalitário representado do livro. A parceria com Ney Matogrosso aconteceu de maneira bem natural e foi meio que sem querer. Ney foi se apresentar em Maceió, capital de Alagoas, e viu em um jornal uma entrevista com o rapper Vitor Pirralho, em que ele explicava todo o conceito de seu então recém-lançado álbum, Pau-Brasil (2009). Ney perguntou a produtora sobre o artista e ela, Sue Chamusca, logo marcou um encontro entre os dois. O clipe tem direção e direção de fotografia de Henrique Oliveira (Panan Filmes), roteiro assinado por Henrique, Vitor Pirralho e Raphael Barbosa e conta com os dançarinos Leide Serafim Olodum, Tamylka Viana, Tiago Sutério, Leonardo Doullennerr, José Marcos (Topete). Assista ao clipe de Rumos e Rumores:

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

Quer saber tudo sobre cultura e eventos em Porto Alegre e no RS? Então assine a newsletter do Roger Lerina e receba as dicas no seu e-mail!

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito