Música, Notas

Thaís Gulin apresenta primeiro single de seu terceiro álbum de estúdio

Change Size Text
Thaís Gulin apresenta primeiro single de seu terceiro álbum de estúdio Foto: João Wainer

Fazendo um jogo com as palavras inglesas valentine (namorado/a) e quarantine (quarentena), Thaís Gulin apresenta no single Quar3ntine – a Valentine in the Quarantine uma combinação entre amor e política em tempo de isolamento social. A nova canção será disponibilizada a partir do dia 23 de novembro em todas as plataformas de streaming, e virá acompanhada de um videoclipe, que foi gravado em seu antigo apartamento na beira-mar de Copacabana, lugar no qual a cantora e compositora curitibana passou parte da pandemia. 

Composta no começo do isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus, essa canção, definida por Gulin como “um olhar no meio do silêncio”, foi a única que ela escreveu durante o período. “Estava apaixonada e iniciou o isolamento, a separação. [A música] veio fácil numa noite com tanta coisa misturada 一 o amor, a ansiedade, um presidente genocida, a saudade, uma gente opressora no governo e ao mesmo tempo essa cidade linda que é o Rio”, relata. 

Falar de amor como forma de enfrentar problemas sociais é uma das características da música, e Thaís utiliza a criação de forma ousada e também como bandeira política. “É quase como se o amor corresse em paralelo aos acontecimentos políticos”, ela explica. O clipe apresenta a figura do capacete de astronauta para representar a redoma em que as pessoas tiveram que ficar durante o isolamento, mas não só. “[Significa] o deslocamento da realidade, essa mudança de percepção do tempo, do espaço. Registramos o auge da cidade vazia, parecia ficção, mas era real”, ela comenta. No registro audiovisual, dirigido por Victória Mendonça, são exaltados também aspectos do país que estão na mira da destruição, como as belezas naturais. 

Quar3ntine – a Valentine in the Quarantine, tanto música quanto clipe, foram executados à distância e abrem caminho para o terceiro álbum de estúdio de Thaís Gulin, posterior ao ôÔÔôôÔôÔ (2011, Som Livre/slap), no qual a artista interpretou composições de músicos como Tom Zé (Ali Sim, Alice), Chico Buarque (Se Eu Soubesse) e Adriana Calcanhotto (Encantada).

RELACIONADAS

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito