Matinal

Aplicação da dose de reforço deve ocorrer 28 dias após infecção com o coronavírus

Change Size Text
Aplicação da dose de reforço deve ocorrer 28 dias após infecção com o coronavírus Alta expressiva de novos casos de covid deve afetar ritmo da aplicação de doses de reforço | Foto: Cristine Rochol / PMPA

Recomendação da SMS é aguardar quatro semanas após o início dos sintomas para tomar a dose de reforço; RS vive explosão de novos casos diários

A violenta alta nos novos diagnósticos diários de covid-19, que faz com que o Rio Grande do Sul volte a superar os 100 mil casos ativos da doença, pode afetar o ritmo de vacinação da dose de reforço. Ela é indicada a maiores de 18 anos que tomaram a segunda injeção há quatro meses.

A recomendação, no entanto, deixa de valer a quem contraiu o coronavírus recentemente. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre, é necessário aguardar 28 dias a contar do início dos sintomas ou do exame positivo, no caso de assintomáticos. Ou seja, quem pegou a covid em janeiro nesta explosão de casos deve aguardar até fevereiro para se vacinar.

Ainda neste documento da SMS, a pasta ressalta que pessoas com sintomas gripais, mesmo que não seja covid, devem aguardar a plena recuperação para se vacinar. “É preciso aguardar que os sintomas clínicos agudos de gripe cessem para receber a primeira, a segunda ou a dose de reforço de qualquer uma das vacinas”, destaca. Não é estipulado algum prazo para ir se imunizar.

Conforme os dados do painel da Prefeitura, 400.781 doses de reforço foram aplicadas na Capital até a tarde desta quinta-feira, 20 de janeiro.

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.