Ensaio

A verdade não-dita da lei não-escrita

Change Size Text
A verdade não-dita da lei não-escrita

Múltiplas desgraças desviam o Brasil de seu destino prometido, a cada vez que parece ao alcance da mão. As desgraças vestem roupagens chamativas no esforço de se diferenciarem, mas se emendam em sequência como capítulo de uma história triste, quer dizer tragédia. Algo impede o Brasil de dar certo e tem a ver com o que ouvimos, vemos ou lemos, pelo que nos dizem ou escondem. Há muito o que desconfiar.

O que aparenta ser peculiar não passa de característica comum a todas as desgraças, de servirem de barriga de aluguel das 1001 artimanhas da desigualdade social. Distingue-se entre si apenas na intensidade política em que acontecem, específica de sua conjuntura.

Elas se manifestam quase sempre em consequência do choque de dois movimentos subjetivos subterrâneos, até então desapercebidos, o das leis não-escritas e o das verdades não-ditas. O resultado é um tremor político assustador, com reflexos inevitáveis no modo de vida de todos. Para pior, em relação à maioria das pessoas. 

A lei não–escrita da desigualdade social, a mais forte, governa o país acima e contra a Constituição, em proveito dos privilégios de uma minoria. A lei da verdade não–dita se encarrega de ocultar as causas da lei não–escrita e seus efeitos nefastos. Por acaso alguém já leu em jornal que o Brasil é um país rico? Racista? Violento? E assim por diante…

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

Múltiplas desgraças desviam o Brasil de seu destino prometido, a cada vez que parece ao alcance da mão. As desgraças vestem roupagens chamativas no esforço de se diferenciarem, mas se emendam em sequência como capítulo de uma história triste, quer dizer tragédia. Algo impede o Brasil de dar certo e tem a ver com o que ouvimos, vemos ou lemos, pelo que nos dizem ou escondem. Há muito o que desconfiar.

O que aparenta ser peculiar não passa de característica comum a todas as desgraças, de servirem de barriga de aluguel das 1001 artimanhas da desigualdade social. Distingue-se entre si apenas na intensidade política em que acontecem, específica de sua conjuntura.

Publicidade

Elas se manifestam quase sempre em consequência do choque de dois movimentos subjetivos subterrâneos, até então desapercebidos, o das leis não-escritas e o das verdades não-ditas. O resultado é um tremor político assustador, com reflexos inevitáveis no modo de vida de todos. Para pior, em relação à maioria das pessoas. 

A lei não–escrita da desigualdade social, a mais forte, governa o país acima e contra a Constituição, em proveito dos privilégios de uma minoria. A lei da verdade não–dita se encarrega de ocultar as causas da lei não–escrita e seus efeitos nefastos. Por acaso alguém já leu em jornal que o Brasil é um país rico? Racista? Violento? E assim por diante…

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS
ASSINE O PLANO ANUAL E GANHEUM EXEMPLAR DA PARÊNTESE TRI 1
ASSINE O PLANO ANUAL E GANHEUM EXEMPLAR DA PARÊNTESE TRI 1

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.