Recomendações

Recomendações da semana #72

Change Size Text
Recomendações da semana #72 "Corpo a Corpo", livro de Oduvaldo Vianna Filho. Foto: Temporal/Divulgação

LIVROS

Corpo a Corpo | Oduvaldo Vianna Filho

Luiz Vivacqua é sociólogo, mas trabalha em uma agência de publicidade dirigindo filmes dos mais diversos produtos cotidianos. Certa madrugada, transtornado pela substituição de seu colega de trabalho na agência, bem como pelas condições de sua vida pessoal – casamento iminente, frustração como criador de propagandas e pouca credibilidade em seu ofício –, ele passa a proferir um longo monólogo em torno da crise sobre seus próximos passos. Regado a álcool e cocaína, o personagem faz diversos telefonemas para seus conhecidos e suas ex-amantes, tenta se conectar com outras pessoas via radioamador, grita da janela, canta e se debate com questões do contexto político-econômico brasileiro da época e com suas escolhas pequeno-burguesas.

Escrita em 1970 por Oduvaldo Vianna Filho, a peça Corpo a Corpo (Temporal, 104 páginas, R$ 52) traz à cena as vicissitudes daquele momento da história brasileira – e lança luz sobre um homem dividido entre a solidariedade e a ambição, a liberdade e a monogamia e a escolha de seu próprio país ou a vida fora dele.

“Neste sentido, Corpo a corpo não é uma experiência formal nova. É tradicional. Mas a sensação de ir descamando a realidade, de ir tirando pedaços e pedaços de sua superfície para chegar mais e mais até a sua intimidade, seus núcleos, foi o meu propósito. A tonteira da razão. O nunca acabar de relações que dão ao indivíduo, tiram-lhe a razão, formam novas sínteses, desbordam de novo. Uma sanfona de Luiz Gonzaga, esticando, tocando, tocando sempre”, explica Vianninha.

A Estrada Enluarada e Outras Histórias | Ambrose Bierce

"A Estrada Enluarada e Outras Histórias", livro de Ambrose Bierce. Foto: Arquipélago Editorial/Divulgação
“A Estrada Enluarada e Outras Histórias”,
livro de Ambrose Bierce.
Foto: Arquipélago Editorial/Divulgação

Os fãs das histórias de Ambrose Bierce acabam de ter acesso a novas peças de seu legado literário traduzidas em português, em uma coletânea que leva em conta toda a obra ficcional do escritor norte-americano – dos primeiros e mais obscuros contos até os mais maduros e célebres. A Estrada Enluarada e Outras Histórias (Arquipélago Editorial, 224 páginas, R$ 49,90) reúne 21 contos do autor – incluindo seis histórias publicadas pela primeira vez no Brasil, sendo três delas também inéditas em português: O Provedor da Criança, D.T. e O Pavor de Pernicketty. Com tradução e organização de Rodrigo Breunig, a edição conta ainda com novas traduções de clássicos como Uma Ocorrência na Ponte de Owl Creek e Chickamauga.

Influenciado por experiências macabras de sua própria vida e pela obra de Edgar Allan Poe, Ambrose Bierce publicou dezenas de contos de sátira, terror e guerra ao longo da vida, além de sua obra mais conhecida, Dicionário do Diabo, que traz verbetes junto a definições carregadas do tom satírico do autor. Por ter crescido em uma família pobre, Bierce constituiu sua formação de maneira informal, lendo os livros que seu pai, apaixonado por poesia, tinha em casa. Aos 18 anos, alistou-se como voluntário e lutou na Guerra Civil dos Estados Unidos durante quatro anos. A experiência acentuou a personalidade crítica e pessimista do escritor e deixou fortes marcas em sua obra. Seus contos de guerra são até hoje importantes referências na literatura norte-americana.

Foi no jornalismo, profissão que exerceu pela maior parte da vida, que Bierce aprimorou e expressou seu acurado senso crítico. A Estrada Enluarada e Outras Histórias evidencia a variedade de gêneros que Bierce explorou em seus contos: as peças da coletânea transitam pelo terror, é claro, mas também pela ficção científica, mistério policial, fábula, filosofia, psicologia, poesia, humor e até mesmo pelo amor.

Beatles: Do Moderno ao Pós-Moderno | Maria Tereza Jorgens Bertoldi

"Beatles: Do Moderno ao Pós-Moderno", livro de Maria Tereza Jorgens Bertoldi. Foto: Editora Metamorfose/Divulgação
“Beatles: Do Moderno ao Pós-Moderno”,
livro de Maria Tereza Jorgens Bertoldi.
Foto: Editora Metamorfose/Divulgação

Mestre e doutora em Comunicação pela PUCRS e pós-doutora em comunicação pela UMESP, Maria Tereza Jorgens Bertoldi une paixão pessoal e pesquisa em Beatles: Do Moderno ao Pós-Moderno. Comunicação. Visual. Sedução. Imaginário Social e Cultural. Mito. (Editora Metamorfose, 262 páginas, R$ 40). O livro é uma adaptação da tese de doutorado em comunicação da autora, defendida em abril de 2009. O lançamento estava previsto para 2020, na Feira do Livro de Porto Alegre, cancelado por conta da pandemia.

Publicidade
Publicidade

Com base no material iconográfico que compõe parte do registro visual reunido até hoje acerca dos Beatles, o estudo analisa o surgimento da banda inglesa entre a modernidade e a pós-modernidade e a comunicação visual do grupo como sedução no imaginário social e cultural do mundo ocidental. “Sou uma beatlemaníaca desde os meus sete anos de idade. Pesquiso a banda há muito tempo e tenho vasto material a respeito dos Beatles, já estive em Londres e Liverpool”, revela Maria Tereza.

RELACIONADAS
marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.