Artigos, Cinema

Projeto épico recria o totalitarismo soviético

Change Size Text
Projeto épico recria o totalitarismo soviético Reserva Imovision/Divulgação

Filme que causou sensação na competição do Festival de Berlim de 2020, ganhando o Urso de Prata de contribuição artística para a fotografia de Jürgen Jürges, DAU. Natasha (2020) chega nesta quinta-feira à plataforma de streaming Reserva Imovision. O longa-metragem integra um ambicioso projeto artístico, que tenta recriar o ambiente totalitário da União Soviética entre 1938 e 1958: em parceria com o milionário empresário russo Sergey Adonyev, o diretor Ilya Khrzhanovsky concebeu uma obra que mistura cinema, ciência, performance, espiritualidade, experimentação social e artística, literatura e arquitetura para falar do uso autoritário do poder.

Para a realização desse trabalho épico, foi construído na Ucrânia um instituto de pesquisa científica em tamanho natural, com 12 mil metros quadrados. Lá, atores, artistas, cientistas, pessoas comuns viviam como se estivessem na URSS de então. As câmeras rodavam ininterruptamente por longos períodos, gerando instalações e filmes – como DAU. Natasha e DAU. Degeneração (2020), produção com mais de seis horas de duração que também vai ser lançada pela Reserva Imovision nas próximas semanas, dividida em duas partes.

Os números de DAU são impressionantes: produzido durante 15 anos, o projeto teve 40 meses de rodagem em 120 locações principais, contando com 400 papéis principais e cerca de 10 mil figurantes, totalizando 700 horas de filmagem em 35 mm.

Reserva Imovision/Divulgação

Em DAU. Natasha, Khrzhanovsky divide a direção com Jekaterina Oertel. Ambientada entre 1952 e 1953, a história é protagonizada por Natasha (Natalia Berezhnaya), gerente e garçonete da cafeteria do instituto de pesquisa. Seus dias são de muito trabalho e as noites, de bebedeira, brigas com a colega de trabalho mais jovem Olga (Olga Shkabarnya) e flerte com os funcionários do lugar. Depois de passar uma noite com o cientista francês Luc (Luc Bigé), Natasha tem sua vida transformada drasticamente quando é convocada para um interrogatório por um agente da polícia política, que questiona a natureza de sua relação com o pesquisador estrangeiro.

DAU. Natasha mostra como a opressão e a paranoia do regime totalitário acaba afetando toda a sociedade, pautando os relacionamentos e moldando os sentimentos. A desconfiança e a violência – verbal e física – passam a ser a linguagem padrão, corrompendo o vínculo entre Natasha e Olga. Abrindo mão de trilha sonora e rodado praticamente todo em cenários interiores, com apenas uma rápida cena noturna externa no final, DAU. Natasha é uma claustrofóbica imersão em um sistema construído para esmagar o indivíduo e sua subjetividade.

Reserva Imovision/Divulgação

Reserva Imovision/Divulgação

DAU. Natasha: * * * *  

COTAÇÕES

* * * * * ótimo     * * * * muito bom     * * * bom     * * regular     * ruim

Assista a um clipe de DAU. Natasha:

RELACIONADAS

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito