Artigos | Cinema

“Noites Alienígenas” revela um Acre em transformação

Change Size Text
“Noites Alienígenas” revela um Acre em transformação Wesley Barros/Divulgação

Em sua estreia mundial no Festival de Gramado de 2022, Noites Alienígenas (2022) fez história. O filme dirigido por Sérgio de Carvalho se tornou o primeiro longa do Acre a ser premiado no evento gaúcho, levando os Kikitos de melhor filme, ator (Gabriel Knoxx), atriz coadjuvante (Joana Gatis) e ator coadjuvante (Chico Diaz), além de uma menção honrosa ao ator Adanilo Reis e o prêmio do Júri da Crítica. Lançado exclusivamente no Acre na semana passada, o longa chega aos cinemas do restante do país nesta quinta-feira (30/3).

Contando com um elenco de jovens e bons atores locais como o rapper Gabriel Knoxx, Noites Alienígenas parte do livro homônimo do realizador, de 2011, retratando o lado urbano da capital acreana por meio de uma história de personagens cujas vidas são marcadas pela mudança da rota do tráfico que começa a passar pela região. Com roteiro assinado pelo cineasta em parceria com Camilo Cavalcante e Rodolfo Minari, o longa atualiza o romance.

Publicidade

“Aquela periferia de Rio Branco já era completamente diferente porque, nesse meio tempo, chegaram as facções do Sudeste do Brasil. A realidade se transformou completamente. O Acre hoje é muito mais violento. A gente começou a viver situações que só nas cidades grandes que a gente via no Rio e São Paulo. Não tinha como transportar para um com um cenário contemporâneo e não trazer também esse tema”, explica o cineasta.

Vitrine Filmes/Divulgação

Carvalho também destaca que sua ficção de estreia aborda questões extremamente contemporâneas, especialmente aquelas ligadas à Amazônia urbana, da qual se fala muito pouco, especialmente no cinema: “O filme fala de um Brasil bélico, de um Brasil que se arma, de um Brasil que cada vez mais se torna violento, e violência de todos, em todos os sentidos. A violência contra a juventude. A violência contra indígenas”.

Ao contar a história de um menino que se recusa a matar, Sérgio explora um Brasil em transformação: “O filme, de certa maneira, reflete esse momento que vivemos. E também trata das questões de identidade, que o Brasil vive hoje, de reafirmação de suas culturas originárias, de seus povos tradicionais. Fala também de uma juventude que está aí nas periferias, sendo resistência a tanta coisa e vítima de tanta coisa ao mesmo tempo”.

Vitrine Filmes/Divulgação

Nascido no Rio, o realizador Sérgio de Carvalho está radicado no Acre há quase 20 anos. Uma das questões centrais em Noites Alienígenas é a identidade brasileira. “É uma grande pauta que o Brasil vive hoje, de reafirmação de suas culturas originárias, de seus povos tradicionais. E o filme também trata essa questão da negação da identidade por meio do personagem do Paulo. Então, acho que o Brasil é o maior dos alienígenas. Ele acaba sendo o reflexo dessa sociedade brasileira em plena transformação”, argumenta o diretor.

Vitrine Filmes/Divulgação

Noites Alienígenas: * * * *

COTAÇÕES

* * * * * ótimo     * * * * muito bom     * * * bom     * * regular     * ruim

Assista ao trailer de Noites Alienígenas:

PUBLICIDADE

Esqueceu sua senha?