Artigos, Cinema

Dois homens se amam em segredo em Hong Kong

Change Size Text
Dois homens se amam em segredo em Hong Kong Foto: Vitrine Filmes/Divulgação

Exibido na mostra Panorama no Festival de Berlim do ano passado, o drama Suk Suk – Um Amor em Segredo (2019) entra em cartaz nesta quinta-feira (9/9) nos cinemas brasileiros. O longa dirigido por Ray Yeung acompanha o romance entre dois homens maduros em Hong Kong, que juntos dividem momentos de carinho e resistência enquanto lutam pelo direito de se amarem livremente.

Em Suk Suk, o encontro por acaso em uma tarde no parque entre Pak (Tai-Bo), taxista casado de cerca de 70 anos que se recusa a se aposentar, e Hoi (Ben Yuen), aposentado de 65 anos que mora com a família do filho no mesmo apartamento, vai mudar completamente as vidas pacatas dos personagens. Apesar de esconderem sua homossexualidade por conta da pressão social e pessoal imposta pela sociedade conservadora, ambos se orgulham das famílias que formaram. O entrosamento sexual e afetivo que rapidamente se estabelece entre os homens, entretanto, logo provoca o questionamento dos personagens acerca dos papéis que desempenham no mundo e sobre suas aspirações íntimas.

No entanto, durante aquele breve encontro um desejo mútuo se desperta, algo que havia sido suprimido por anos e à medida que conversam e relembram suas histórias pessoais, eles também contemplam a possibilidade de um futuro juntos. Pak é reticente no início, mas logo se rende à atração pelo novo companheiro; já Hoi parece ter uma atitude mais autoconfiante, mas mostra-se bastante tradicional e temeroso quando se trata de família e religião, temendo expor sua condição gay.

Foto: Vitrine Filmes/Divulgação

“Hoje, em Hong Kong, a comunidade LGBT é geralmente mais aberta e a sociedade aceita mais os direitos dos homossexuais. No entanto, os homens gays mais velhos não puderam desfrutar dessas mudanças devido à sua adesão a valores culturais tradicionais estritos e laços familiares próximos. Do ponto de vista da geração mais jovem e ocidentalizada, esses homens parecem reprimidos, tristes e sem coragem de serem eles mesmos”, explica o diretor Ray Yeung.

O roteiro de Suk Suk constroi com sensibilidade o romance maduro desses homens que estão entrando no crepúsculo de suas existências. A fotografia registra apropriadamente em belas e melancólicas imagens esse relacionamento amoroso envolto em segredo e culpa, que nasce sob o estigma do interdito e da impossibilidade.

Merecem destaque as atuações da dupla central de atores, que emprestam paixão e delicadeza a seus personagens na mesma medida, evitando que o filme se torne excessivamente melodramático – ainda que a trilha sonora sentimental insista em provocar a comoção fácil.

Foto: Vitrine Filmes/Divulgação

Suk Suk – Um Amor em Segredo: * * * *  

COTAÇÕES

* * * * * ótimo     * * * * muito bom     * * * bom     * * regular     * ruim

Assista ao trailer de Suk Suk – Um Amor em Segredo:

RELACIONADAS

Quer saber tudo sobre cultura e eventos em Porto Alegre e no RS? Então assine a newsletter do Roger Lerina e receba as dicas no seu e-mail!