Artes Visuais | Notas

Luanda inaugura exposição “Cachimba” no Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira no Rio de Janeiro

Change Size Text
Luanda inaugura exposição “Cachimba” no Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira no Rio de Janeiro “Maria Conga - Luísa Mahin”, 2021. foto: Luanda

A exposição Cachimba, da artista plástica gaúcha Luanda, nasceu da necessidade de expandir o campo do letramento afro para uma fusão de ideias da história com a religiosidade de matriz africana, que culminará na valorização da cultura e história afro-brasileira. A mostra remete à ressignificações das ancestralidades e reflexões sobre a intolerância religiosa e será inaugurada no dia 9 de julho, na Sala Mercedes Batista do Museu da História e da Cultura Afro-brasileira, o MUHCAB, no Rio de Janeiro.

As obras foram criadas após o término da defesa da tese de doutorado em artes, Kalunga mu kizua — O Mar em Tempo, em setembro de 2021, na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EBA-UFRJ). A artista vem trabalhando sobre o tema — arte e terreiro — há cinco anos, desde que entrou na Umbanda, em 2017, como rodante (quando o/a filho/a de santo entra em transe mediúnico), após muitos convites. 

Seu processo de criação artística, desde que chegou para viver no Rio de Janeiro, há sete anos, foi se transmutando e sendo paulatinamente permeado pelo sagrado de matriz africana. O trabalho foi incluindo elementos do Terreiro como flores, ervas, velas, cânticos, roupas brancas, louças, esteiras, entre outros objetos, enquanto na vivência em sua Comunidade de Terreiro a artista começava a girar (incorporar) com os entes da terra e os Orixás.

;
PUBLICIDADE