Artigos | Série

A série coreana certa

Change Size Text
A série coreana certa Netflix/Divulgação

Se você quer estragar o seu dia e a sua semana, Hellbound é a série certa. Nisso, os coreanos costumam ser bons, e muito.

Pois muitos entre nós acharam que Round 6 era a série estragadora de final de semana de 2021, na sua estranha mistura de algodão doce com tiroteio. Não era. Hellbound – chamada no Brasil de Profecia do Inferno – é que era, mas a gente só sabe agora, assistindo.

O argumento é daqueles da nobre tradição iniciada por A Metamorfose, de Kafka. Num certo dia, coisas que nunca aconteceram começam a acontecer. Acontece com o pobre Gregor Samsa, acontece com todos nós. Mais precisamente, no caso de Hellbound, criaturas disformes começam a aparecer para carregar pecadores pro inferno, de um jeito muito mais brutal do que todo o catolicismo do planeta conseguiu imaginar.

Essa é a cena inicial, portanto, nem chega a ser spoiler. Se você aceita essa premissa, então muitas coisas podem acontecer, e é o que vai acontecer se você assistir ao resto da série, na minha, na sua, na nossa Netflix.

Como todo mundo, eu adoro os coreanos. Adoro a gastronomia coreana, privilégio de quem vive em São Paulo (ou em Seul, o que não é o meu caso). Adoro os filmes e boa parte das séries. Eles me dão uma baita inveja. O Brasil deveria ser capaz de fazer coisas como eles fazem. Não nos falta drama, não nos falta tensão, e nos sobra cenários maravilhosos. Por que não acontece? Essa é a pergunta de muitos milhões de reais, e eu não sei responder. Perguntem pra Ancine.

Na linha das coisas estranhas, temos por exemplo o ótimo filme O Hospedeiro, de 2006, viram? Temos o ótimo Parasita. Temos a trilogia da vingança do melhor cineasta vivo, Chan-wook Park. E temos agora Hellbound.

Eu nunca entendo direito a relação da Coreia com as religiões. Por algum motivo, o cristianismo parece ter causado mais impacto por lá do que no Japão, por exemplo. Em muitos momentos se vê elementos do cristianismo por lá, como se via nos filmes do John Woo, em Hong Kong. Eu não sei muita coisa (eu não sei nada) sobre as religiões coreanas, mas essa ideia de punição, pecado e inferno me parece ocidental demais pra não ser. O quanto o Ocidente penetrou pra valer naquela parte do mundo é um bom tema pra debate e observação. A Coreia, caros amigos, parece ser uma terra de contrastes, e muitos.

Lugares com muita história e muita tensão, associada a uma boa tradição narrativa, é o que mantém vivo o mundo do cinema e das séries. A Coreia tem um superávit de tudo isso e, se tem uma coisa que podemos saber, é que novas aventuras não vão faltar.

Não quero spoilear mais do que o necessário, mas basta saberem que Hellbound é melhor do que Round 6. Arrumem um bichinho de pelúcia pra agarrar se der medo e vejam.

Fica a dica.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito