Matinal News

1º de maio: ato de trabalhadores no Centro e protesto contra o PL das Fake News no Parcão

Change Size Text
1º de maio: ato de trabalhadores no Centro e protesto contra o PL das Fake News no Parcão Protestos em Porto Alegre | Fotos: Matheus Piccini/CUT RS e Divulgaçao/RDC

Previsão do tempo: o dia será de tempo instável em Porto Alegre. Com o clima mais fechado, a temperatura não deve passar dos 20°C

Enquanto centrais sindicais, partidos políticos e movimentos sociais reuniram-se na Praça Júlio Mesquita, próxima à Usina do Gasômetro, para marcar o Dia do Trabalhador em Porto Alegre, manifestantes de verde e amarelo se concentraram no Parcão para protestar contra o projeto de lei 2630/20, apelidado de “PL das fake news”. O texto da Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet pode ser votado hoje na Câmara dos Deputados, mas sofre pressão contrária de big techs. No meio empresarial gaúcho, a Federasul e a Associação Comercial de Porto Alegre declararam ser contra o PL, afirmando que é um “risco à liberdade de expressão e à democracia”. Inspirada em lei alemã, a proposta de lei prevê medidas para o combate à desinformação nas redes sociais e regras para a atuação e responsabilização das plataformas digitais no Brasil, mas tem fragilidades apontadas até por quem atua na luta contra as fake news, como lideranças de agências de checagem, favoráveis à regulação das plataformas. A pesquisadora da UFRGS e UfPel Raquel Recuero, que também é a favor de um regramento no setor, critica o dispositivo que estende a imunidade parlamentar para as redes, blindando manifestações de políticos que, como outras autoridades, são “o grande motor da desinformação”, segundo a professora. Neste episódio do Café da Manhã, podcast da Folha de S.Paulo, entenda o que está em jogo no debate.

Publicidade

Modelo que inspira concessão do Dmae é criticado por consumidores no Rio – Referência para o processo de concessão do Dmae, a privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro é alvo de reclamações por parte de usuários do serviço. Ao Correio do Povo, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos de Niterói afirma que o sistema de saneamento “já está dando problemas” no estado. Segundo ele, a maioria das reclamações dos consumidores não ocorria quando a Cedae era a única administradora – com a privatização, os serviços de distribuição da água, coleta e tratamento de esgoto e gestão comercial foram concedidos a três empresas, enquanto a captação seguiu com o poder público, algo parecido com o que propõe a gestão Sebastião Melo (MDB). Secretário da Casa Civil do governo do RJ, Nicola Miccione, também falou à reportagem e defendeu o modelo, citando, como exemplo, que a Lagoa Rodrigo de Freitas está mais limpa. Na capital gaúcha, ainda não há prazo para que a proposta da Prefeitura seja enviada à Câmara. 

Comissão do Plano Diretor na Câmara define integrantes – A comissão da Câmara que debaterá o Plano Diretor de Porto Alegre está definida e deve começar seus trabalhos nesta semana. Serão 14 vereadores, Airto Ferronato (PSB), Cláudia Araújo (PSD), Cláudio Janta (Solidariedade), Conselheiro Marcelo (PSDB), Engenheiro Comassetto (PT), Fernanda Barth (Podemos), Giovani Culau e Coletivo (PCdoB), Idenir Cecchim (MDB), Jessé Sangalli (Cidadania), João Bosco Vaz (PDT), Mari Pimentel (Novo), Mauro Pinheiro (PL), Mônica Leal (PP) e Roberto Robaina (PSOL). Líder do governo no Legislativo. Cecchim deverá ser o presidente do colegiado, que contará com um relator-geral e sete sub-relatores, que dividirão seu trabalho por eixo temático. No Executivo, a retomada das atividades de revisão do Plano Diretor ocorre a partir do dia 15, com o início das oficinas, que estão com inscrições abertas para o público geral.

Deputados estaduais gaúchos contam com 276 assessores – Ao contrário da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, o portal da transparência da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul não incluía, até abril, a lista de assessores e servidores com cargos comissionados. Em reportagem, o G1 mostra tais dados, obtidos através da Lei de Acesso à Informação, e, agora, disponíveis no site do parlamento. Além dos servidores vinculados a cada parlamentar, há mais 276 pessoas que atuam nas bancadas partidárias ou em setores da Assembleia. Para cada gabinete parlamentar, são disponibilizados entre nove e 17 cargos, assim, a soma dos salários do gabinete de cada um dos 55 deputados estaduais ultrapassa o teto de 85 mil reais. Atualmente, há 16 deputados que excederiam o limite de 17 servidores. Contudo, a resolução que estabelece o teto salarial também estipula que bancadas, lideranças partidárias, secretarias e comissões parlamentares podem ter assessores que exerçam, ao mesmo tempo, cargos nestes setores e em algum dos gabinetes.

Número de suicídios na BM motiva frente parlamentar na Assembleia – O suicídio foi a principal causa de morte entre integrantes da Brigada Militar em quatro dos últimos cinco anos, além de ser o fator que mais leva brigadianos à morte no início de 2023. De 2018 para cá, o número de policiais tombados em serviço foi três vezes menor do que os que tiraram a própria vida – 15 e 45, respectivamente. Os dados foram obtidos via Lei de Acesso à Informação pela deputada Luciana Genro (PSOL), que propôs a criação da Frente Parlamentar em Defesa dos Brigadianos de Nível Médio, instalada na última sexta-feira. O colegiado, que analisará questões relacionadas à carreira, condições de trabalho e perseguições de superiores, terá como meta reunir relatos sobre problemas psicológicos na corporação para solicitar respostas efetivas do Comando-Geral da BM. Conforme o censo da corporação, com dados coletados em 2020, a BM possuía um efetivo de 17,9 mil pessoas, um grupo composto por 80% de brancos. Na corporação, 12,3 mil eram soldados. Cerca de 67% estava na BM havia menos de 15 anos. Mais de 70% se disseram insatisfeitos ou muito insatisfeitos com o plano de carreira e quase um em cada quatro entrevistados admitiu a pretensão de deixar a Brigada Militar.


Outros links:


Juremir Machado da Silva

Discurso de Chico Buarque no Camões

Glória nacional, Chico Buarque recebeu, enfim, o seu Prêmio Camões. Entre os membros do comitê que o escolheu esteve o nosso Antônio Hohlfeldt, professor da PUCRS, jornalista, diretor do Theatro São Pedro, crítico literário e de teatro. Chico, além de compositor, grande poeta da MPB, tem romances e peças de teatro. Não sou fã da sua literatura na mesmo medida em que sou apaixonado por suas letras. Para mim ele é o maior poeta brasileiro vivo. Eu lhe daria o Nobel da literatura pelas suas composições. Nesse quesito para mim ele é melhor do que Bob Dylan. O discurso de Chico Buarque no Camões é um primor de precisão e de ironia. O final é um punhal cirúrgico.

Leia neste link a coluna completa


Cultura

Nicolas Cage brinca de Drácula em “Renfield”

Universal/Divulgação

Poucas vezes no cinema o talento e a canastrice de Nicolas Cage foram tão bem exploradas ao mesmo tempo quanto em Renfield – Dando o Sangue pelo Chefe (2023). Na pele pálida do Conde Drácula, o ator ajuda a alavancar a história de seu servo, que se revolta contra o mestre nessa divertida comédia de terror assumidamente campLeia a resenha de Roger Lerina.

Agenda (🔒)

Projeto GOMPA encena, às 10h e 15h, o espetáculoAmazônia, Um Olhar Sobre a Floresta, no Theatro São Pedro, dentro da programação do Festival de Teatro para Crianças.

Orquestra Jovem do RS realiza concerto no Centro Histórico-Cultural Santa Casa, às 19h.

Às 21h, o Sarau ElétricohomenageiaLupicínio Rodrigues, tendo como convidados o compositor Arthur de Faria – que está lançando o livroLupicínio: Uma Biografia Musical –, o cineasta Carlos Gerbase – curador da exposição Lupi, Pode Entrar, a Casa É Tua, em cartaz no Farol Santander – e canja de Glau Barros.

Para receber todas as dicas culturais do Roger Lerina enviadas aos assinantes premium do Matinal, assine aqui.


Você viu?

Em meio às mudanças no mercado editorial nacional e local, os sebos se adaptam à nova realidade, como mostra esta reportagem especial do Jornal do Comércio. Com o fortalecimento do comércio online, algumas lojas mantêm seus espaços físicos somente para estoque e realizam as vendas apenas pela internet. Muitas optaram por plataformas compartilhadas de venda, os marketplaces. O principal deles é a Estante Virtual, que reúne 16 milhões de livros em todo o país. No Estado, há 230 sebos e livreiros que utilizam o site e, dentre eles, 59 possuem acervos com mais de mil livros disponíveis. Mesmo para os sebos que ainda têm lojas físicas, a venda em marketplaces representa uma porção relevante no faturamento. Além disso, diferentemente das livrarias de livros novos, que contam com abastecimento regular das editoras, os sebos dependem de suas redes de contato de livreiros. Isso torna possível o acesso dos empreendedores a grandes bibliotecas e oferece ao público a possibilidade de encontrar livros que não estão disponíveis nas livrarias.

RELACIONADAS
;

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.