Assessoria de Imprensa

Repórter da Matinal é atacado após matéria sobre evento antivacina

Change Size Text
Repórter da Matinal é atacado após matéria sobre evento antivacina Vereadora convidou ativistas antivacina para evento sobre "autonomia médica". Reprodução: Fernanda Barth/Instagram

O jornalista Pedro Nakamura está sendo atacado nas redes sociais depois de ter publicado, na Matinal, duas reportagens sobre um evento antivacina promovido na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. O seminário reuniu, no dia 3 de agosto, médicos e ativistas ligados ao movimento antivacina na Europa e nos Estados Unidos. Organizado pela vereadora bolsonarista Fernanda Barth (PL), o evento foi transmitido pela TV Câmara, que depois retirou o vídeo do ar.

Uma das responsáveis pela perseguição online ao repórter é a médica ozonioterapeuta Maria Emilia Gadelha Serra, que lidera campanhas contra a imunização do HPV e oferece terapias de “reversão vacinal” em sua clínica particular. Ela usou o conteúdo do encontro para afirmar, sem evidências, que vacinas de mRNA “não foram testadas em pessoas saudáveis, imunocomprometidas, grávidas, crianças e em mistura de vacinas”.

Depois, em seu perfil no X (antigo Twitter), publicou informações sobre Nakamura na tentativa de atacar sua credibilidade. A jornalista Paula Schmitt, que escreve no Poder360, também atacou o repórter. A partir dessas postagens, seguiram-se novos comentários ofensivos.

A Matinal repudia os ataques e xingamentos direcionados a Nakamura e informa que já está tomando providências cabíveis.

Participe da campanha Crowdfunding Matinal 2024 e apoie a Matinal.org!

Esqueceu sua senha?

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.