Crônica

Tristeza e Água Doce

Change Size Text
Tristeza e Água Doce Perspectiva no bairro Floresta, 1994. Ilustração: Edgar Vasques

*Diversas imagens de Edgar Vasques homenageiam Porto Alegre na edição 67 da Parêntese. Você pode ver o ensaio gráfico completo na seção cartum.

Passei bons momentos da minha infância em um dos muitos pontos remotos do mapa da cidade, no bairro Tristeza mais precisamente, onde meu avô paterno possuía uma pequena chácara e em algum escaninho da minha memória se escondem as recordações dessas temporadas. Estão ali, intactas, as imagens da casa da rua Dr. Mário Totta que abrigava a grande família nos quentes verões de Porto Alegre. Não ficava na beira do rio, mas encontrávamos nossa praia ao lado do Yatch Club que tinha um trapiche avançando pelo Guaíba. Ali aprendi a nadar, a mergulhar até tocar a areia do chão, a jogar as linhas n’água e sentir o puxão dos lambaris.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Publicidade
Publicidade

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium
ou faça login

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS
marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.