Folhetim

Quem quer ser a mãe do João? Cap. 6

Change Size Text
Quem quer ser a mãe do João? Cap. 6 Desespero A Mãe foi acordada pela azia e pelo celular vibrando a cada segundo pra notificar alguma coisa. O estômago queimava muito e ela tentou se lembrar o que havia comido pra acordar daquele jeito. Café. Nos últimos dias só havia consumido café, pão e cigarro. Levantou, tomou um bicarbonato, sentou de novo no sofá que agora era sua cama, já que não conseguia mais dormir no próprio quarto. Pegou o celular e tomou um susto. Mais de cem notificações no Facebook, mais de mil no WhatsApp, tinha gente saindo de tudo que era lugar.  O post que Léo tinha feito no perfil dele com a foto dela segurando o cartaz de desaparecimento do João tinha chegado a mais de dois mil compartilhamentos. Ela conferiu as horas. Dez da manhã. Dormira mais que a cama. Mais de três mil comentários, ela resolveu olhar. Muita gente só dizendo “up” pro post circular mais, muita gente desejando o bem e falando de Deus, e alguns comentários específicos chamaram a atenção da Mãe, e ela pôs o óculos na cara pra ler. – “A cara da desnaturada nem queima. Se eu perdesse um filho de bobeira eu teria no mínimo vergonha de me expor desse jeito.” – “Deus tende piedade da criança, se caiu naquela beira-linha ali pode ter certeza que os cracudo da Bispo pegou.” – “Deus tende misericórdia, esses dias saiu a notícia do doido que tá abusando as meninas na zona norte, agora esse menino especial que sumiu, se um não tiver com o outro, já tá bom” – “O menino deve estar com os morador de rua ali nas beira-linha, a quantidade de criança que fica lá é imensa, os nóias usam eles pra pedir no sinal.” – “Acho que vi essa doida, ela fica naquela beirada ali da Antônio Carlos pedindo dinheiro no sinal, ela bota o menino dela que é retardado pra pedir, se acharem o menino ele tem que ir pra uma clínica especializada, porque se voltar pra mãe vai pra rua de novo.” – “Deus levantou uma mãe foi pra cuidar dos filhos, quando uma mãe não dá conta de cumprir o seu chamado é uma grande vergonha, porque a mãe que não honra os filhos que tem não honra a Deus. Deus proteja a vida dessa criança e que essa mãe seja responsabilizada.” – “A cara de cracuda dessa mulher.” – “Tem que ser muito retardado pra dormir do lado de uma criança especial. Se sabe que o menino é perigoso, não pode nem piscar, não sei nem pra que saiu de  casa com ele, Deus que me perdoa dizer, mas criança assim pode machucar alguém, atacar alguém se fica nervosa, ainda mais desse tamanho.” A azia voltou de uma vez mais forte que nunca, num refluxo que subiu tão rápido que parecia uma bola de fogo. A garganta se amarrou num nó que doía de tão apertado. Sentiu aquele desespero que a gente sente quando vai ser punido. Estava totalmente incrédula.  Começou imediatamente […]

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

Desespero A Mãe foi acordada pela azia e pelo celular vibrando a cada segundo pra notificar alguma coisa. O estômago queimava muito e ela tentou se lembrar o que havia comido pra acordar daquele jeito. Café. Nos últimos dias só havia consumido café, pão e cigarro. Levantou, tomou um bicarbonato, sentou de novo no sofá que agora era sua cama, já que não conseguia mais dormir no próprio quarto. Pegou o celular e tomou um susto. Mais de cem notificações no Facebook, mais de mil no WhatsApp, tinha gente saindo de tudo que era lugar.  O post que Léo tinha feito no perfil dele com a foto dela segurando o cartaz de desaparecimento do João tinha chegado a mais de dois mil compartilhamentos. Ela conferiu as horas. Dez da manhã. Dormira mais que a cama. Mais de três mil comentários, ela resolveu olhar. Muita gente só dizendo “up” pro post circular mais, muita gente desejando o bem e falando de Deus, e alguns comentários específicos chamaram a atenção da Mãe, e ela pôs o óculos na cara pra ler. – “A cara da desnaturada nem queima. Se eu perdesse um filho de bobeira eu teria no mínimo vergonha de me expor desse jeito.” – “Deus tende piedade da criança, se caiu naquela beira-linha ali pode ter certeza que os cracudo da Bispo pegou.” – “Deus tende misericórdia, esses dias saiu a notícia do doido que tá abusando as meninas na zona norte, agora esse menino especial que sumiu, se um não tiver com o outro, já tá bom” – “O menino deve estar com os morador de rua ali nas beira-linha, a quantidade de criança que fica lá é imensa, os nóias usam eles pra pedir no sinal.” – “Acho que vi essa doida, ela fica naquela beirada ali da Antônio Carlos pedindo dinheiro no sinal, ela bota o menino dela que é retardado pra pedir, se acharem o menino ele tem que ir pra uma clínica especializada, porque se voltar pra mãe vai pra rua de novo.” – “Deus levantou uma mãe foi pra cuidar dos filhos, quando uma mãe não dá conta de cumprir o seu chamado é uma grande vergonha, porque a mãe que não honra os filhos que tem não honra a Deus. Deus proteja a vida dessa criança e que essa mãe seja responsabilizada.” – “A cara de cracuda dessa mulher.” – “Tem que ser muito retardado pra dormir do lado de uma criança especial. Se sabe que o menino é perigoso, não pode nem piscar, não sei nem pra que saiu de  casa com ele, Deus que me perdoa dizer, mas criança assim pode machucar alguém, atacar alguém se fica nervosa, ainda mais desse tamanho.” A azia voltou de uma vez mais forte que nunca, num refluxo que subiu tão rápido que parecia uma bola de fogo. A garganta se amarrou num nó que doía de tão apertado. Sentiu aquele desespero que a gente sente quando vai ser punido. Estava totalmente incrédula.  Começou imediatamente […]

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.