Memória

1753: A chegada dos açorianos

Change Size Text
1753: A chegada dos açorianos Fig. 1 – A Chegada dos Casais de Açorianos, de Augusto Luis de Freitas, Roma, 1923. Óleo sobre tela, 5,50 x 6, 30 m. Instituto de Educação Flores da Cunha, Porto Alegre – RS.

PORTO ALEGRE 250 ANOS:  HISTÓRIA, FOTOGRAFIA E REPRESENTAÇÕES

Até mais que o povoamento inicial de Jerônimo de Ornelas e familiares, iniciado em 1732 e legalizado em 1740, a chegada dos açorianos, em 1752, talvez tenha sido o fator que mais impulsionou o povoamento do local. O interessante é que o seu destino não era este, mas o território das Missões. Como este último estava muito conflitado, foram ficando, supostamente arranchando-se (existem discordâncias sobre o ponto exato de sua fixação) na primitiva desembocadura do arroio Dilúvio, atual Ponta do Gasômetro. Local então conhecido como Porto do Dorneles. Aquinhoados com lotes de terra, algumas das famílias foram aqui se estabelecendo, enquanto outras se dispersaram pelo interior do território.  

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS
marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito