Memória

1827 – A igreja do Rosário: história

Change Size Text
1827 – A igreja do Rosário: história

Em 1827, a Irmandade da N. Sra. do Rosário, ao entronizar a imagem da Virgem no altar de sua nova igreja, complementava o seu desligamento da Igreja Matriz. Cinco anos depois, em 1832, a nova paróquia era oficialmente reconhecida para se tornar, ao longo do séc. XIX, a mais populosa, estimada e aberta das paróquias da cidade (até descendentes de alemães, como os Weingartner, dela faziam parte). E assim atravessou os tempos até que, em 1951, um decreto do presidente Getúlio Vargas autorizou a sua demolição. Por que precisou da autorização presidencial? Porque a igreja havia sido tombada pelo IPHAE. E assim ela se foi, junto com seus santos e altares de talha barroca.

A igreja do Rosário: representações

Apesar de apertada pelos prédios e da estreiteza da rua (atual Vigário José Inácio), os artistas sempre acharam um jeito de representar a vetusta igreja. Giuseppe Gaudenzi, (Cesenatico, Itália, 1875 – Ilha do Governador, RJ, 1966), para coleção de familiares, e João Faria Viana (Porto Alegre, RS, 1905 – 1975), para o livro Memórias Sentimentais da Cidade, de Athos Damasceno, escolheram o ângulo de quem nela chegava vindo da rua da Praia (Figs. 1 e 2). O criativo Benito Castañeda (Cadiz, Espanha,  1885 – Porto Alegre, RS, 1955)  flagrou-a a partir de uma janela da calçada oposta (Fig. 3). Guido Mondin (Porto Alegre, RS, 1912 – Brasília, DF, 2000) e Angelo Guido (Cremona, Itália, 1893 – Pelotas, RS, 1969) preferiram apresentá-la a partir dos fundos, possivelmente fixados no pátio de um atelier fotográfico que existia na rua da Praia (Figs 4 e 5). Os pincéis e penas fixando aquilo que a insensível picareta modernizadora não deixou de pé.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

RELACIONADAS
marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Escolhe um dos combos

Pagamento exclusivo via cartão de crédito