Memória

1900: O trenzinho da Tristeza

Change Size Text
1900: O trenzinho da Tristeza Praia de Ipanema. Elizabeth Laky Gatti (detalhe - Reprodução)

PORTO ALEGRE 250 ANOS:  HISTÓRIA, FOTOGRAFIA E REPRESENTAÇÕES

O trenzinho da Tristeza – História

Em 14 de janeiro de 1900 foi aberto ao tráfego de passageiros o trecho ferroviário ligando a Estação do Riacho ao balneário da Tristeza. A municipalidade positivista-republicana em ação. A novidade de 1900 eram os passageiros. Antes deste novo ramal já existia um outro, prontificado entre 1895-1897, que ia da Estação do Riacho, nas proximidades da Ponte de Pedra, até o Pontal do Melo, próximo ao futuro Estaleiro Só, e do atual Shopping da Zona Sul. Usado para o transporte e despejo dos cilindros de madeira, mal fechados e malcheirosos, com matéria fecal. Erroneamente chamados de cubos, e também de cabungos, em alusão aos recipientes usados nas cabeças dos escravos e ao formato dos chapéus femininos do séc. XIX. 

Da Estação do Riacho, o incansável Hélio Ricardo Alves (Porto Alegre, 1920 – Idem, desconhecido) nos deixou um de seus preciosos nanquins (Fig. 1), adaptado de um postal do início do séc. XX. 

Uma vez chegado à Tristeza, o sistema se expandiu em direção ao sul, com o trecho Tristeza-Pedra Redonda, inaugurado em 1913. E em direção ao centro da cidade, com a posterior ponte de ferro sobre o Dilúvio e a expansão dos trilhos, costeando o arroio e a Ponta do Gasômetro, até o mercado. E, em 1928, com a Estação Ildefonso Pinto. Com tal expansão potencializaram-se as possibilidades de lazer do balneário.

[Continua...]

O acesso a esse conteúdo é exclusivo aos assinantes premium do Matinal. É nossa retribuição aos que nos ajudam a colocar em prática nossa missão: fazer jornalismo e contar as histórias de Porto Alegre e do RS.

 

 
 
 

 

 

 

 
 
 

 

 
conteúdo exclusivo
Revista
Parêntese


A revista digital Parêntese, produzida pela equipe do Matinal e por colaboradores, traz jornalismo e boas histórias em formato de fotos, ensaios, crônicas, entrevistas.

Quer ter acesso ao conteúdo exclusivo ?

Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.
ASSINE E GANHE UMA EDIÇÃO HISTÓRICA DA REVISTA PARÊNTESE.