Folhetim, Parêntese

Rafael Escobar: Você é o Escolhido — Capítulo 2

Change Size Text
Rafael Escobar: Você é o Escolhido — Capítulo 2 Jonas PasteleiroUm folhetim cem por cento porto-alegrense, em tempos de coronavírus e bolsonarismo (No capítulo anterior: Jonas tem uma importante sessão de terapia com sua psiquiatra, na qual diversos fatores da personalidade do rapaz são revelados) Uma coisa interessante sobre os besouros rola-bosta é que a bola de merda que eles criam e levam pra casa não é só pra alimentação; é ali também que as larvas são depositadas, é ali que vão nascer os filhos deles, e isso aproxima esses insetos ainda mais de todos nós, humanos, que nascemos quase sempre em um microuniverso composto pela mistura de todas as frustrações e angústias dos nossos antecessores – no seio da merda toda, nós nascemos e conhecemos o mundo. Era mais ou menos isso que eu tava pensando quando saí de casa pra ir no mercado. Depois da minha sessão virtual de terapia, abri o YouTube, e o algoritmo por algum motivo tinha me recomendado um vídeo de biologia sobre vermes (acho que foi porque algumas semanas antes eu tinha assistido umas filmagens de cirurgias, incluindo extração de vermes do intestino de pessoas – na verdade eu comecei em cirurgias plásticas de nariz, porque tinha saído um clipe novo da Anitta, e eu lembrei da vez que ela foi no Faustão, no Melhores do Ano, ainda usando curativo no nariz e tudo), aí dos vermes fui clicando e parei no besouro rola-bosta. Enfim, quando entrei no elevador e olhei no espelho a minha cara com uma máscara cirúrgica, decidi parar de pensar no besouro e comecei a pensar no que comer. O besouro rola-bosta ia gostar de uns croquete, foi o que veio na minha cabeça quando tentei não pensar mais no pequeno animal. Tem alguns lugares que vendem “bola de carne”, essa seria melhor ainda. Almôndega. A pior coisa que pode ser cobrada de alguém é a coerência, pelo menos em um sentido que seja muito abrangente; adoro frases assim; o que se espera é que todo mundo esteja em mudança constante, e acho engraçado quando alguém é criticado por ter mudado de opinião – melhor ainda é o caso em que não se permite que uma pessoa passe a concordar conosco, porque ainda queremos que ela esteja do outro lado. Agora é tarde demais, pra mim você sempre vai pensar daquela maneira. Eu não acredito que você pense diferente agora. JÁ ERA. Enforcamento. Entrei no mercado, peguei um cestinho e já fui pro corredor das verduras, porque cheguei à conclusão de que hoje a noite é de jantar – cebola, abobrinha, batata e daqui a pouco aparece do meu lado um cara com uma bandana do Iron Maiden amarrada na cara, tapando o nariz e a boca.  Uma das coisas que eu acho mais fascinantes no mundo são os artistas desconhecidos que acreditam no que fazem, aqueles artistas que são capazes de falar “eu acredito no que eu faço”, e que mesmo que não recebam nada em troca dos seus esforços, seguem perseguindo um sonho de levar sua […]

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

Jonas PasteleiroUm folhetim cem por cento porto-alegrense, em tempos de coronavírus e bolsonarismo (No capítulo anterior: Jonas tem uma importante sessão de terapia com sua psiquiatra, na qual diversos fatores da personalidade do rapaz são revelados) Uma coisa interessante sobre os besouros rola-bosta é que a bola de merda que eles criam e levam pra casa não é só pra alimentação; é ali também que as larvas são depositadas, é ali que vão nascer os filhos deles, e isso aproxima esses insetos ainda mais de todos nós, humanos, que nascemos quase sempre em um microuniverso composto pela mistura de todas as frustrações e angústias dos nossos antecessores – no seio da merda toda, nós nascemos e conhecemos o mundo. Era mais ou menos isso que eu tava pensando quando saí de casa pra ir no mercado. Depois da minha sessão virtual de terapia, abri o YouTube, e o algoritmo por algum motivo tinha me recomendado um vídeo de biologia sobre vermes (acho que foi porque algumas semanas antes eu tinha assistido umas filmagens de cirurgias, incluindo extração de vermes do intestino de pessoas – na verdade eu comecei em cirurgias plásticas de nariz, porque tinha saído um clipe novo da Anitta, e eu lembrei da vez que ela foi no Faustão, no Melhores do Ano, ainda usando curativo no nariz e tudo), aí dos vermes fui clicando e parei no besouro rola-bosta. Enfim, quando entrei no elevador e olhei no espelho a minha cara com uma máscara cirúrgica, decidi parar de pensar no besouro e comecei a pensar no que comer. O besouro rola-bosta ia gostar de uns croquete, foi o que veio na minha cabeça quando tentei não pensar mais no pequeno animal. Tem alguns lugares que vendem “bola de carne”, essa seria melhor ainda. Almôndega. A pior coisa que pode ser cobrada de alguém é a coerência, pelo menos em um sentido que seja muito abrangente; adoro frases assim; o que se espera é que todo mundo esteja em mudança constante, e acho engraçado quando alguém é criticado por ter mudado de opinião – melhor ainda é o caso em que não se permite que uma pessoa passe a concordar conosco, porque ainda queremos que ela esteja do outro lado. Agora é tarde demais, pra mim você sempre vai pensar daquela maneira. Eu não acredito que você pense diferente agora. JÁ ERA. Enforcamento. Entrei no mercado, peguei um cestinho e já fui pro corredor das verduras, porque cheguei à conclusão de que hoje a noite é de jantar – cebola, abobrinha, batata e daqui a pouco aparece do meu lado um cara com uma bandana do Iron Maiden amarrada na cara, tapando o nariz e a boca.  Uma das coisas que eu acho mais fascinantes no mundo são os artistas desconhecidos que acreditam no que fazem, aqueles artistas que são capazes de falar “eu acredito no que eu faço”, e que mesmo que não recebam nada em troca dos seus esforços, seguem perseguindo um sonho de levar sua […]

Quer ter acesso a conteúdo exclusivo?


Assine o Premium

Você também pode experimentar nossas newsletters por 15 dias!

Experimente grátis as newsletters do Grupo Matinal!

marca-parentese

Abra um parêntese no seu fim de semana com jornalismo e boas histórias. Deixe seu email e receba toda semana as newsletters da revista Parêntese.

Receba de segunda a sexta a Matinal News, a newsletter que traz as principais notícias e eventos de Porto Alegre e do RS.