DesapagaPOA

Desapaga POA é o podcast que surge para desapagar os apagados da história de Porto Alegre: negres, indígenas e periferias.

O canal de podcast que surge para desapagar os apagados da história de Porto Alegre: negres, indígenas e periferias.

Ouça o podcast

Em breve
Este episódio será lançado em
13 de maio
O DESAPAGA POA é um canal de podcast que surge com o propósito de desapagar a história de negres, indígenas e periferias, às vésperas da cidade completar 250 anos de sua data oficial de fundação. Saiba mais sobre os propósitos do projeto ouvindo o Trailer Editorial.
A lenda do escravizado Josino, que teria rogado uma praga que atrasara em cem anos a conclusão da Igreja das Dores. A rotina de enforcamentos que havia em Porto Alegre no século XIX. O papel da Irmandade do Rosário na luta por melhores condições de vida e a demografia negra da cidade nos anos 1800.
Neste episódio, vamos percorrer os perímetros de Porto Alegre nos seus primórdios urbanos; investigar o feminicídio que resultou na lenda de Maria Degolada, no Morro da Conceição, e debater os conceitos discriminatórios de favela e maloca que surgiram para designar o lugar onde os mais pobres foram alojados nas grandes cidades brasileiras.
Em breve
Este episódio será lançado em
7 de maio
A lenda do escravizado Josino, que teria rogado uma praga que atrasara em cem anos a conclusão da Igreja das Dores. A rotina de enforcamentos que havia em Porto Alegre no século XIX. O papel da Irmandade do Rosário na luta por melhores condições de vida e a demografia negra da cidade nos anos 1800.
Neste episódio, vamos percorrer os perímetros de Porto Alegre nos seus primórdios urbanos; investigar o feminicídio que resultou na lenda de Maria Degolada, no Morro da Conceição, e debater os conceitos discriminatórios de favela e maloca que surgiram para designar o lugar onde os mais pobres foram alojados nas grandes cidades brasileiras.
O DESAPAGA POA é um canal de podcast que surge com o propósito de desapagar a história de negres, indígenas e periferias, às vésperas da cidade completar 250 anos de sua data oficial de fundação. Saiba mais sobre os propósitos do projeto ouvindo o Trailer Editorial.

O que é DESAPAGAMENTO?

O apagamento da contribuição dos afro-brasileiros, dos povos indígenas e dos moradores das nossas periferias no processo de construção da cidade é uma conseqüência do racismo estrutural vigente na sociedade brasileira. Por isso, desapagar o que foi apagado significa descolonizar nosso imaginário, libertá-lo das amarras dos preconceitos, permitir a visibilidade do que nunca deveria ter sido tornado invisível. Representa colocar a contribuição de todos os povos de modo relacional na história, reconhecendo suas diferenças, seus diferentes modos, mas em condição de igualdade perante o respeito e a valorização da sociedade presente e das sociedades futuras.
Conta uma lenda da tribu dos tapí-mirins que uma formosa donzela enamorada do chefe dos guerreiros se finara em pranto por ter sido vencida nos jogos públicos por outra não menos formosa e mais feliz – e que tupã, arrebatando-a para a morada dos imortais, transformara no arroio gemedor que ali corre, as lágrimas da moça sensível, cujas águas quasí divinas são remédio para as saudades das que amaram guerreiros mortos em combate.” Escreveu Caldre e Fião. Além dele, outros cronistas da cidade, em diferentes momentos, também registraram essa lenda, como Augusto Porto Alegre, Sebastião Leão e Walter Spalding. A lenda da Obirici é uma das conexões de Porto Alegre com os povos indígenas que habitavam o território onde surgiu a cidade. A lenda chegou aos tempos atuais através desses primeiros escritores e historiadores da cidade, o que nos leva fatalmente à seguinte constatação: trata-se de uma lenda sobre os indígenas, e não exatamente uma lenda indígena.
Guilherme Maffei Brandalise
Guilherme Maffei Brandalise
Historiador e um dos pesquisadores do Desapaga POA

Museu de Imagens Desapaga POA

vá mais fundo

Fale com o Desapaga

Mande sua mensagem e retornaremos o mais breve possível

Este projeto foi selecionado no edital Criação e Formação Diversidade das Culturas, da Secretaria Estadual da Cultura – SEDAC/RS – e Fundação Marcopolo e é realizado com recursos da Lei 14.017 de 2020 (a Lei Aldir Blanc)