DesapagaPOA

Desapaga POA é o podcast que surge para desapagar os apagados da história de Porto Alegre: negres, indígenas e periferias.

O canal de podcast que surge para desapagar os apagados da história de Porto Alegre: negres, indígenas e periferias.

Ouça o podcast

Em breve
Este episódio será lançado em
7 de maio
Neste episódio, vamos percorrer os perímetros de Porto Alegre nos seus primórdios urbanos; investigar o feminicídio que resultou na lenda de Maria Degolada, no Morro da Conceição, e debater os conceitos discriminatórios de favela e maloca que surgiram para designar o lugar onde os mais pobres foram alojados nas grandes cidades brasileiras.
Neste episódio, vamos percorrer os perímetros de Porto Alegre nos seus primórdios urbanos; investigar o feminicídio que resultou na lenda de Maria Degolada, no Morro da Conceição, e debater os conceitos discriminatórios de favela e maloca que surgiram para designar o lugar onde os mais pobres foram alojados nas grandes cidades brasileiras.
O DESAPAGA POA é um canal de podcast que surge com o propósito de desapagar a história de negres, indígenas e periferias, às vésperas da cidade completar 250 anos de sua data oficial de fundação. Saiba mais sobre os propósitos do projeto ouvindo o Trailer Editorial.

O que é DESAPAGAMENTO?

O apagamento da contribuição dos afro-brasileiros, dos povos indígenas e dos moradores das nossas periferias no processo de construção da cidade é uma conseqüência do racismo estrutural vigente na sociedade brasileira. Por isso, desapagar o que foi apagado significa descolonizar nosso imaginário, libertá-lo das amarras dos preconceitos, permitir a visibilidade do que nunca deveria ter sido tornado invisível. Representa colocar a contribuição de todos os povos de modo relacional na história, reconhecendo suas diferenças, seus diferentes modos, mas em condição de igualdade perante o respeito e a valorização da sociedade presente e das sociedades futuras.
A fundação da Vila da Madre de Deus de Porto Alegre destinava-se a criar um centro comercial e de poder para a Capitania do Rio Grande de São Pedro. Isso implicava no estabelecimento de comerciantes, oficiais do governo, alfaiates, boticários, carpinteiros, calafates e tantos outros profissionais. Como em qualquer outro lugar da América Portuguesa, muitos dos serviços necessários foram delegados a pessoas escravizadas. Desde os cuidados da casa, o carregamento de mercadorias, a venda de alimentos e até serviços especializados, como a culinária e o artesanato. No cinturão rural de Porto Alegre, praticamente todos os proprietários rurais, a maioria açorianos, possuía cativos (...) E a ampla presença de escravizados deve-se, justamente, à grande demanda de trabalho no porto, no comércio ou nas lavouras de trigo.
Luciano Gomes, doutor em História e professor
Luciano Gomes
Doutor em História pela UFRGS e professor da rede municipal de ensino de Porto Alegre

Museu de Imagens Desapaga POA

vá mais fundo

Desapaga POA é o podcast que surge para desapagar os apagados da história de Porto Alegre: negres, indígenas e periferias.

O que é o Desapaga POA

O “Desapaga POA” é um novo canal de podcast, criado para desapagar a história negra, indígena e das periferias às vésperas da cidade completar 250

VER +

Fale com o Desapaga

Mande sua mensagem e retornaremos o mais breve possível

Este projeto foi selecionado no edital Criação e Formação Diversidade das Culturas, da Secretaria Estadual da Cultura – SEDAC/RS – e Fundação Marcopolo e é realizado com recursos da Lei 14.017 de 2020 (a Lei Aldir Blanc)